Insiders

McDonald’s ou Tesla? Com queda das bolsas, Buffett tem dinheiro para comprar uma delas

A Berkshire Hathaway conta com US$ 125 bilhões em caixa. É recurso suficiente para comprar muitas empresas americanas de capital aberto em uma tacada só. E, ao que indica, o megainvestidor Warren Buffett está com apetite

 

Aos 89 anos, Buffett é fundador e CEO da Berkshire Hathaway

“O mercado é uma ferramenta que transfere dinheiro do impaciente para o paciente.” A lição do megainvestidor Warren Buffett talvez nunca tenha sido tão valiosa em tempos de pandemia do coronavírus.

Graças a esta lição, o oráculo de Omaha, como Buffett é conhecido, agora tem cacife para comprar uma empresa “do tamanho de um elefante”, como ele gosta de se referir quando está à procura de um ativo gigante para o seu portfólio.

Até dezembro do ano passado, a Berkshire Hathaway contava com US$ 125 bilhões em dinheiro e investimentos de curto prazo no Tesouro americano. 

Com esse dinheiro acumulado, Buffett poderia comprar pelo menos uma dentre 450 das empresas listadas no S&P 500, uma ou mais dentre 80 das ranqueadas na Nasdaq 100 e uma ou mais dentre 11 que figuram na Dow 30.

Pressupondo que o caixa da companhia tenha se mantido o mesmo e levando em consideração apenas os valores de mercado, Buffet tem agora poder de fogo para comprar a rede de fast-food McDonald’s, cujos papéis se desvalorizaram-se 16% desde o começo do ano. O valor do mercado da companhia é de US$ 125 bilhões. 

O Paypal, que acumula perdas de 12,4% desde o início do ano e vale US$ 113 bilhões, também poderia ser comprado pela Berkshire Hathaway. Assim como a problemática Boeing, que viu seus papéis despencarem 54,3% e está avaliada em US$ 85 bilhões. 

Ainda que se leve em conta outra regra de Buffett, que prometeu nunca testar os limites de seu fluxo de caixa, preservando US$ 20 bilhões, a Berkshire Hathway ainda poderia adquirir o Goldman Sachs, que vale US$ 54,5 bilhões. A Tesla, avaliada em US$ 92,5 bilhões, também “caberia no bolso” de Buffett. 

Caso esteja “faminto”, Buffett poderia levar, em uma tacada só, a companhia aérea United Airlines (US$ 7,4 bilhões), o conglomerado de turismo Expedia Group (US$ 7,8 bilhões), o portal de e-commerce eBay (US$ 24,8 bilhões), a rede de hotéis Marriott (US$ 24,6 bilhões) e a farmacêutica Walgreens (US$ 40 bilhões). Todas as companhias fazem parte da Nasdaq 100.

Numa compra em atacado no S&P 500, Buffet e seus US$ 105 bilhões podem adquirir, simultaneamente, a empresa de eletrodomésticos Whirlpool (US$ 5,4 bilhões), a companhia de tecnologia e geolocalização Garmin (US$ 14,6 bilhões), a gigante de alimentos General Mills (US$ 31,7 bilhões) e a rede de mercados Target (US$ 48 bilhões).

Já na Dow 30, o “carrinho de compras” da Berkshire Hathaway tem espaço para a empresa química Dow (US$ 21,2 bilhões), a seguradora Travelers Companies (US$ 26,2 bilhões) e a companhia de máquinas pesadas Caterpillar (US$ 61,4 bilhões). Juntas.

Mas será que Buffett irá aproveitar as oportunidades que estão surgindo por conta da desvalorização das ações em razão da crise econômica que nasce na esteira dos problemas sanitários? O índice S&P 500, que reúne as 500 maiores empresas dos EUA, já se desvalorizou quase 20% desde o começo deste ano.

Em carta aos acionistas, no ano passado, Buffett disse que estava à procura de um investimento. Embora tivessem alguns alvos não-declarados sob a mira, Buffett e sua Berkshire Hathaway se esquivaram de puxar o gatilho por julgarem as companhias superavaliadas. Agora, elas podem estar baratas. 

Buffett pode sair para caçar. E, convenhamos,  a temporada parece ser toda para o caçador.

Siga o NeoFeed nas redes sociais. Estamos no Facebook, no LinkedIn, no Twitter e no Instagram. Assista aos nossos vídeos no canal do YouTube e assine a nossa newsletter para receber notícias diariamente.

Leia também

UM CONTEÚDO:

VÍDEOS

Assista aos programas CAFÉ COM INVESTIDOR e CONEXÃO CEO