Nova holding une Gol e Avianca no espaço aéreo da América Latina

Os acionistas controladores da Gol e da Avianca anunciaram a criação da Abra, holding de capital fechado que irá controlar as duas aéreas, além de deter fatias na Viva e na Sky Airline

0
0
Leia em 3 min

A manhã desta quarta-feira, 11 de maio, trouxe novidades no espaço aéreo latino-americano. A brasileira Gol, por meio da família Constantino, sua controladora, e os principais acionistas da colombiana Avianca, acabam de anunciar a criação de uma holding para atuar no setor.

Batizada de Abra, a nova companhia terá o controle da Gol e da Avianca, além de uma participação não controladora de 100% dos interesses econômicos nas operações da Viva, na Colômbia e no Peru, e de um investimento em dívida conversível equivalente a uma fatia minoritária na Sky Airline, do Chile.

“Juntas, Avianca e Gol serão a base de uma malha pan-latinoamericana de companhias aéreas com o objetivo de ter o menor custo unitário em seus respectivos mercados, os programas de fidelidade líderes em suas regiões e outros negócios sinérgicos”, afirmaram as duas empresas, em nota.

Nos termos do acordo, divulgados em fato relevante, o grupo controlador da Gol irá ceder suas ações na companhia em troca de ações ordinárias da nova holding. O mesmo procedimento será adotado pelos principais acionistas da Avianca.

A nova operação será uma empresa de capital fechado incorporada no Reino Unido e a transação está sujeita a aprovações, com expectativa de conclusão no segundo semestre de 2022. A partir dessa formalização, a Abra terá os dois grupos em questão como co-controladores.

Sob a ótica da operação, Gol e Avianca seguirão atuando de forma independente, mantendo suas marcas. A holding, por sua vez, irá responder pela gestão geral, estratégia e entrega de sinergias a partir dessa composição.

Com a criação da Abra, a holding passará a ser dona de uma frota de 300 aernovanes e uma receita anual na casa de US$ 7 bilhões. O grupo receberá também uma capitalização de US$ 350 milhões de um conjunto de investidores, como Elliott International, Kingsland e South Lake.

Constantino de Oliveira Junior, presidente do Conselho de Administração da Gol, será o CEO da Abra. “Este acordo coloca as companhias aéreas do Grupo Abra em posição de liderança em viagens aéreas na América Latina, atendendo a uma população de mais de um bilhão de pessoas e um PIB de quase US$ 3 trilhões – e oferecendo oportunidades significativas de capacidade e crescimento de receita”, afirmou Constantino Junior, em nota.

A holding terá como copresidentes Adrian Neuhauser, CEO da Avianca, e Richard Lark, CFO da Gol. Os dois executivos irão acumular seus respectivos cargos nas duas aéreas. Já a presidência do board da Abra será ocupada por Roberto Kriete, responsável pela fusão entre a TACA e a Avianca, em 2009. “Nossa visão é criar um grupo de transporte aéreo que enderece os desafios do século 21”, afirmou Kriete, na nota.

Entre outros planos destacados no comunicado, a Abra irá fornecer uma plataforma para que as companhias aéreas sob o seu guarda-chuva reduzam mais custos, tenham mais economias de escala e expandam suas rotas, serviços, ofertas de produtos e programas de fidelidade.

“Nossos clientes se beneficiarão de tarifas ainda melhores, acesso a mais destinos, maior frequência de voos e conexões bem sincronizadas, assim como a capacidade de acumular e resgatar pontos nos programas de fidelidade das marcas”, acrescentou Kriete.

Por volta das 10h35, as ações da Gol estavam sendo negociadas a R$ 13,70 na B3, alta de 4,10%. A empresa está avaliada em R$ 43,3 bilhões.

Leia também

Brand Stories