Startups

Por e-mail, WeWork avisa: as demissões vão começar

Em e-mail, Marcelo Claure, executivo que está cuidando do dia a dia da problemática empresa do Softbank, deixa claro que empresa vai começar a cortar funcionários. Estima-se que pelo menos 4 mil pessoas podem ser demitidas

 

A hora da verdade para os funcionários do WeWork chegou. Em um e-mail no qual o jornal americano The New York Times teve acesso, Marcelo Claure, que está à frente da problemática operação de escritórios compartilhados do Softbank, avisou que os cortes vão começar.

Segundo fontes citadas pelo Times, pelo menos 4 mil pessoas podem ser demitidas, por conta dos ajustes para que a operação volte aos eixos, depois da fracassada abertura de capital e de a companhia quase ficar sem caixa para operar, o que obrigou ao Softbank fazer um novo aporte e assumir o controle da empresa.

Os cortes devem acontecer globalmente. Segundo o plano, a área de aluguel de escritórios, que é o negócio principal do WeWork, deve demitir entre 2 mil e 2,5 mil pessoas. Outros mil funcionários deixarão a empresa à medida que suas áreas sejam vendidas ou fechadas, como uma escola privada que o WeWork mantinha em Manhattan, em Nova York. Cerca de mil profissionais de manutenção serão transferidos para uma empresa terceirizada.

Em junho deste ano, o WeWork contava com 12,5 mil funcionários globalmente. Os cortes, se confirmados, atingirão um terço de sua força de trabalho. Fontes do Times também chegaram a dizer que as demissões podem ser ainda maiores e chegar a 6 mil pessoas.

Em seu e-mail aos funcionários, Claure disse que “temos que fazer algumas eliminações necessárias de funções”. E acrescentou. “Essas ações nos tornarão mais fortes e mais capazes de gerar ainda mais oportunidades nos próximos meses e anos.”

Desde que tentou abrir o capital, em setembro, o WeWork entrou numa crise que quase levou a sua falência. O IPO fracassou devido a uma desconfiança dos investidores com o valor da empresa e a práticas de governanças corporativas heterodoxas.

A startup empregava familiares de Adam Neumann, o fundador do WeWork, como a sua esposa Rebekah Paltrow Neumann, que respondia pelo cargo de chefe de marcas (chief brand), e seu cunhado, Chris Hill, que era chefe de produto. Além disso, Neumann era dono de alguns dos prédios alugados pelo WeWork por mensalidades milionárias.

Sem o IPO, a empresa correu o risco de ficar sem capital. A startup só não quebrou porque o Softbank assumiu seu controle e tirou Neumann da presidência do conselho de administração. Para deixar a companhia que fundou Neumann ainda recebeu uma bolada de US$ 1,7 bilhão.

Marcelo Claure, chairman do WeWork, anunciou cortes por e-mail

Na semana passada, o WeWork reportou um prejuízo de US$ 1,25 bilhão no trimestre que terminou em setembro, mais de duas vezes maior do que o mesmo período do ano passado.

Leia o e-mail de Claure:

Equipe WeWork,

A próxima semana é importante para o futuro do WeWork. Estamos comemorando nosso 10º aniversário desde que o WeWork abriu caminho e começou o que era nada menos que uma reinvenção da maneira como as pessoas trabalham – e estamos apenas começando.

Precisamos de uma organização mais eficiente, mais focada e ainda mais centrada no cliente para crescer e continuar a ajudar nossos membros a mudar a maneira como trabalham e atender às suas necessidades. Isso exige que a equipe do WeWork seja alterada para corresponder à nossa prioridade centrada no cliente.

Como eu disse em nossa última reunião com toda a empresa, nas áreas de negócios que não apoiam diretamente nossas principais metas de negócios, temos que fazer algumas eliminações necessárias de funções. Isso é difícil, especialmente considerando a energia e o comprometimento que muitos contribuíram. Mas é necessário e estamos tomando medidas para implementar essas ações de uma maneira que respeite e reconheça o serviço de nossos colegas. Por meio desse processo, que começará a valer esta semana nos EUA, eliminaremos e reduziremos certas funções e responsabilidades, o que aumentará a eficiência e também a prestação de contas. Essas ações nos tornarão mais fortes e mais capazes de gerar ainda mais oportunidades nos próximos meses e anos.

De fato, temos trabalhado duro para definir nossos próximos passos para moldar o futuro do WeWork, e estou ansioso para compartilhar com vocês diretamente na reunião com toda companhia que originalmente tínhamos agendado para amanhã. Em uma reflexão mais aprofundada e por respeito às pessoas que serão separadas nesta semana, estamos reagendando nossa reunião para sexta-feira às 10:00 da manhã. Horário de Nova York. Peço desculpas pelo atraso e qualquer inconveniente.

Marcelo

Siga o NeoFeed nas redes sociais. Estamos no Facebook, no LinkedIn, no Twitter e no Instagram. Assista aos nossos vídeos no canal do YouTube e assine a nossa newsletter para receber notícias diariamente.

Leia também

VÍDEOS

Assista aos programas CAFÉ COM INVESTIDOR e CONEXÃO CEO