Stellantis reforça o “todos contra Tesla” com investimento de € 30 bilhões em elétricos

Fruto da fusão entre a FCA e PSA, a montadora anunciou que a cifra vai ser investida até 2025 e inclui ainda veículos autônomos e software. O anúncio reforça a corrida de outras grandes empresas do setor, como GM e Ford, para superar a companhia de Elon Musk

0
49
Leia em 3 min

O Fiat 500e, um dos modelos elétricos do grupo

Ao tomar a dianteira no segmento de carros elétricos, a Tesla turbinou exponencialmente seu valor de mercado e, mesmo com derrapadas aqui e ali, ainda é, de longe, a montadora mais valiosa do mundo, com um valor de mercado de US$ 520 bilhões.

Diante desse panorama, com a mesma velocidade que a empresa de Elon Musk fez sua escalada em Wall Street, as demais montadoras começam a correr atrás da rival e, para isso, estão anunciando investimentos bilionários nesse espaço.

Fruto da fusão entre a FCA e a PSA, a Stellantis é o mais novo nome a engrossar esses aportes. A montadora anunciou nesta quinta-feira, 7 de julho, o plano de investir mais de € 30 bilhões até 2025 em tecnologias ligadas a carros elétricos e direção autônoma, além da área de softwares e em eventuais joint ventures para financiar essas operações.

“A estratégia que traçamos hoje concentra-se na quantidade certa de investimento, na tecnologia certa para alcançar o mercado, no momento certo”, afirmou, em comunicado, Carlos Tavares, CEO da Stellantis.

Com o anúncio, a montadora destacou a projeção de que o seu mix de veículos de baixa emissão cresça, de forma constante, mais de 70% na Europa, 10 pontos percentuais à frente das previsões atuais do setor para o mercado como um todo.

Segundo a empresa, avaliada em € 50 bilhões, o lançamento de carros elétricos de suas 14 marcas será estendido a todas as regiões nos próximos três anos. O pacote inclui a entrega, até o fim deste ano, de vans de médio porte movidas a célula de hidrogênio.

Em entrevista recente ao NeoFeed, Antonio Filosa, CEO da Stellantis na América do Sul, afirmou que a montadora trará em breve para a região modelos como o Fiat 500 BEV, o Jeep Compass Plug in Hybrid, o Peugeot 208 elétrico e mais um Citroën.

O plano bilionário global cobre toda a cadeia, com recursos em áreas como baterias, para garantir mais de 130 gigawatt/hora de capacidade, até 2025, e mais de 260 gigawatt/hora, até o ano de 2030, por meio de cinco fábricas na Europa e na América do Norte, e de parcerias para fornecimento adicional.

“Nossa jornada de eletrificação é, possivelmente, a peça mais importante para ser construída conforme começamos a revelar o futuro da Stellantis apenas seis meses depois do seu nascimento”, acrescentou Tavares.

Outras montadoras globais também anunciaram investimentos nessa frente nos últimos meses. Em junho, por exemplo, a General Motors ampliou em 75% o volume de aportes previsto em veículos autônomos e elétricos, para US$ 35 bilhões.

Os recursos previstos pela GM também incluem frentes como a aceleração de produção das células de bateria e serão aplicados até 2025. Nesse prazo, a companhia tem a meta de alcançar um volume de mais de 1 milhão de unidades de carros elétricos vendidos globalmente.

Em fevereiro, a empresa que também revisou seus planos para cima foi a Ford. De um investimento previsto anteriormente de US$ 11,5 bilhões, até 2022, a companhia anunciou a meta de destinar US$ 22 bilhões aos carros elétricos, além de US$ 7 bilhões adicionais em veículos autônomos, até 2025.

Leia também