Negócios

XP volta às origens com plataforma de educação

A companhia lança a XPEED, plataforma de educação que trará desde conteúdos básicos e gratuitos de educação financeira até cursos de investimentos e trading, além de MBAs

 

Guilherme Benchimol, cofundador e CEO da XP

Em 2002, as aulas sobre como administrar uma carteira de ações e ganhar dinheiro no mercado de capitais foram a saída encontrada por Guilherme Benchimol e Marcelo Maisonnave para atrair clientes para a XP Investimentos, fundada pela dupla um ano antes, em Porto Alegre.

Dos cursos improvisados até mesmo em salões de festas, a empresa chegou longe. Hoje, a XP tem mais de 2 milhões de clientes, R$ 385 bilhões de ativos e está avaliada em US$ 26 bilhões, após abrir o capital na Nasdaq, em dezembro de 2019. E para seguir nessa trajetória bilionária, a companhia está voltando às origens.

Nesta segunda-feira, 22 de junho, a XP anunciou o lançamento da XPEED, novo braço de operações do grupo na área de educação e que chega ao mercado com uma plataforma de cursos nas áreas de educação financeira e empreendedorismo.

“Essa vertical sempre foi importante na nossa história, mas, ao longo dos anos, ela foi perdendo sua identidade e deixou de ser o core do negócio”, disse Benchimol, em teleconferência sobre a nova iniciativa. “Mas entendemos agora que se nós queremos transformar, de fato, o mercado financeiro do País, o caminho mais sólido é ensinar as pessoas.”

Inspirada em modelos de instituições como Massachusetts Institute of Technology (MIT) e Harvard, a nova área está sendo construída há cerca de um ano, a partir da contratação de Izabella Mattar A executiva tem passagens pela Fundação Estudar, de Jorge Paulo Lemann, e pela Tarpon Investimentos, além de ser uma das cofundadoras do movimento RenovaBR.

“Agora, estamos olhando para a educação com uma visão mais abrangente do que já abordamos no passado”, disse Izabella. “Sabemos que há um desafio gigante de educação financeira no Brasil e queremos atender diversos perfis de pessoas, com conteúdos e linguagens diferentes em cada escola.”

Com a XPEED, que já está no ar, a ideia da XP é abraçar, de fato, um amplo leque. A plataforma nasce com 30 cursos online, divididos em três frentes: educação financeira, investimentos e trading. Uma quarta vertente, que começará a ser trabalhada com mais propriedade a partir do fim de julho é a escola de empreendedorismo, que será lançada com uma aula magna de Benchimol.

Izabella Mattar, que comandará a XPEED

Inicialmente, por conta da pandemia, o modelo será 100% de educação a distância. A XP não descarta, porém, combinar esse formato com o presencial, no médio e longo prazo.

Além de ofertas gratuitas e de curta duração, a plataforma inclui desde conteúdos com preço de entrada a partir de R$ 9,90 até cursos de MBA, na faixa de R$ 17 mil, para aqueles profissionais interessados em investir em uma formação no mercado financeiro.

Mais básica, a escola de educação financeira trará temas como gestão de orçamento familiar, autoconhecimento financeiro e controle de gastos. Já a frente de investimentos terá, entre outras ofertas, um curso sobre “O jeito Warren Buffet de investir”, além de abordar tópicos como renda fixa, renda variável e investimentos alternativos.

“Nosso plano é encorajar as pessoas a conhecer mais sobre esses temas”, disse Izabella. “E desmistificar a ideia de que os investimentos e o mercado de capitais são muito complicados e uma questão só para os ricos”, acrescentou a executiva.

O segmento de trading será voltado a ensinar a operar no mercado de capitais. A escola de empreendedorismo, por sua vez, combinará conteúdos de parceiros combinados com a participação de executivos da XP, além de casos práticos da trajetória da própria companhia.

Nas ofertas de MBA, voltados à formação de assessores de investimentos e que estarão reunidas sob a bandeira XPEED Pro, o pacote inicial inclui três cursos, em parcerias com instituições como o Ibmec: broker global; investimentos e private banking; e ações e stock picking.

“Clientes mais capacitados e mais informados, acabam percebendo que um banco não é o melhor lugar de investir seu dinheiro”

“Há um ano, quando começamos a formatar esse modelo, eu disse para a Izabella que nosso plano era impactar 50 milhões de pessoas, em cinco anos”, disse Benchimol. “No começo, ela assustou, mas agora está achando até pouco”, brincou o empresário.

Benchimol ressaltou ainda que a plataforma é mais um passo da XP para seguir desafiando os bancos tradicionais e se diferenciando dessas instituições.
“Sabemos que os grandes bancos jamais vão conseguir nos copiar nessa direção”, afirmou.

Ele acrescentou que, caso seguissem esse caminho, os rivais mais tradicionais só estariam acelerando a disrupção proposta pela empresa. “Clientes mais capacitados e mais informados, acabam percebendo que um banco não é o melhor lugar de investir seu dinheiro.”

A XP não é, porém, a única a estar de olho nesse segmento. Em março, Felipe Miranda, fundador e CEO da Empiricus Research, disse em uma entrevista ao NeoFeed que a casa de análises estava fechando uma parceria com uma empresa do setor para vender MBAs online de finanças.

“No começo será educação financeira, mas nada impede que ofereçamos outros cursos. Serão aulas online, masterclass, EAD e algumas aulas presenciais”, afirmou Miranda, ressaltando o potencial da área. “Para mim, é um negócio de R$ 100 milhões por ano.”

Siga o NeoFeed nas redes sociais. Estamos no Facebook, no LinkedIn, no Twitter e no Instagram. Assista aos nossos vídeos no canal do YouTube e assine a nossa newsletter para receber notícias diariamente.

Leia também

UM CONTEÚDO:

NEOFEED REPORT

Baixe o relatório “O mapa de ataque das grandes empresas”

VÍDEOS

Assista aos programas CAFÉ COM INVESTIDOR e CONEXÃO CEO