Renner adere à “moda” e cria fundo de R$ 155 milhões para investir em startups

A rede varejista de moda criou um corporate venture capital que será gerido pela PortCapital e planeja investir, no mínimo, em 10 startups em segmentos como retail tech, marketplace e logística

0
222
Leia em 2 min

Os investimentos de grandes empresas na criação de veículos para investir em startups está virando moda no Brasil. Literalmente. Depois de companhias como a Arezzo&Co e do Grupo Soma, o mais novo nome a ingressar nessa passarela é a Renner.

Na manhã desta quinta-feira, 10 de março, a varejista anunciou o lançamento do RX Ventures, seu fundo de corporate venture capital, que terá como foco investir no crescimento de startups com inovações desenvolvidas para o ecossistema de moda e lifestyle.

De acordo com comunicado divulgado pela companhia, o fundo nasce com um capital de R$ 155 milhões e buscará, pelo menos, dez empresas. O veículo prevê períodos de quatro anos de investimento e outros quatro para a saída dos negócios incorporados ao portfólio do RX Ventures.

No balcão do fundo, as prioridades serão os segmentos de fashion & retail tech; e-commerce e marketplace, abrangendo conteúdo, marketing e branding; fintechs; e startups de logística e supply chain.

Segundo a empresa, o comprometimento das empresas com as práticas de ESG terá bastante peso entre os critérios de decisão para os investimentos do RX Ventures, que será gerido pela gestora PortCapital.

A Renner informou ainda que, no encerramento do ciclo dos aportes, cada participação do fundo poderá evoluir para uma aquisição de controle, uma venda ou uma abertura de capital.

Em julho de 2021, a varejista já havia dado o primeiro passo nessa direção com a compra da Repassa, plataforma de venda online de roupas, calçados e acessórios usados.

Esse segmento também foi o ponto de partida para o lançamento, em novembro de 2020, do ZZ Ventures, corporate venture capital da Arezzo&Co. Na época, a aquisição da Troc, startup de economia circular que vende roupas premium usadas, inaugurou essa estratégia.

Já o Grupo Soma lançou sua iniciativa nesse espaço em março de 2021. Batizado de Soma Ventures, o fundo chegou ao mercado com a aquisição da Lauf, marca de fitness criada pelas empresárias Anna Guinle e Marina Rovery.

Leia também

Brand Stories