Com aporte da XP, Inside, de Lucas Pit Money, quer ir além do investidor pessoa física

Casa de análise, que tem 12 mil assinantes, vai oferecer seus relatórios para bancos de investimentos e assessores autônomos, após XP comprar uma fatia de 20%. Em entrevista ao NeoFeed, Lucas Pit Money explica os planos

0
180
Leia em 3 min

O fundador da Inside, Lucas Nogueira, conhecido como Lucas Pit Money

Ajudar pessoas pouco familiarizadas com o mercado financeiro a investir em ações foi a missão que o economista Lucas Nogueira, conhecido como Lucas Pit Money, tomou para si em 2018, quando fundou o canal de YouTube Pit Money, que hoje tem 364 mil inscritos.

E foi justamente com esse propósito que ele, juntamente com três colegas de faculdade, Ricardo Romero, Rodrigo Romero e Allan Pedroso, fundou a Inside Research em julho de 2019, uma casa de análise que busca oferecer recomendações de investimentos em ações, fundos imobiliários e BDRs de um jeito simples e prático, sem pesar no “economês” e nos jargões técnicos.

Agora, quase três anos e 12 mil assinantes depois, a Inside Research inaugura uma nova etapa, após a XP comprar uma fatia de 20% na casa de análise por um valor não revelado, em informação divulgada em primeira mão pelo jornal O Estado de S. Paulo, nesta quinta-feira, 21 de abril.

O objetivo agora é expandir o público para além da pessoa física, levando seus relatórios, aulas e lives para assessores financeiros e bancos de investimentos, informou Lucas Pit Money em entrevista ao NeoFeed.

A Inside vai acelerar o crescimento na parte B2B, ao ter acesso à rede de mais de 600 escritórios de assessores de investimentos que a XP possui para distribuir o conteúdo, que acompanha e faz recomendações de mais de 200 produtos financeiros.

“Com a XP, temos a homologação para chegar nos escritórios de assessores deles. Para você distribuir relatórios, você precisa dessa homologação”, disse Lucas Pit Money. “Vamos partir bem forte para o B2B.”

Os planos preveem investimentos na plataforma de conteúdo voltada também para outros bancos de investimentos, que pode ser contratada inclusive por aqueles que não estão sob o guarda-chuva da XP. Segundo Pit Money, o acordo com a XP não traz cláusulas de exclusividade.

“Já tem banco utilizando a plataforma, ela é bem ‘personalízavel’”, afirma Pit Money. “No futuro, a gente vai desenvolver um aplicativo para cada escritório, totalmente white label.”

No lado da pessoa física, o B2C, Lucas afirmou que o aporte da XP também vai ajudar a oferecer novas ferramentas aos investidores, como as carteiras automatizadas.

Através dessas carteiras, os clientes podem investir com base nas recomendações da Inside sem ter de ficar entrando em sua plataforma de investimentos e ajustando suas carteiras manualmente. Atualmente, o produto está disponível para os clientes da Clear e da XP.

Lucas Pit Money afirmou também que os recursos do investimento da XP serão revertidos para o crescimento da Inside, principalmente na expansão da equipe, atualmente formada por 25 funcionários, sendo 15 analistas, além de investimentos em tecnologia e marketing. O plano é fechar o ano com o dobro de funcionários.

Com planos de investir em marketing, a Inside quer oferecer seus produtos para um número cada vez maiores de pessoas, mas sem perder aquilo que ajudou a estabelecer a empresa no concorrido mercado de casas de análise: a proximidade com os assinantes.

A Inside oferece, por exemplo, chats para que os assinantes tirem dúvidas diretamente com os analistas que fazem as recomendações de investimentos, além de cursos para quem está começando a invstir e para aqueles mais avançados no mercado financeiro.

O aporte da XP na Inside é o mais recente deles em uma casa de análise, a porta de entrada para atingir novos investidores. A empresa de Guilherme Benchimol já se tornou sócia da Levante, da Ohmresearch, da Suno e, por tabela da Eleven, casa que foi comprada pelo banco Modal, adquirido pela XP.

O BTG Pactual, um dos principais concorrentes da XP, também está investindo nesta área. Ele comprou a Empiricus, no fim do ano passado, casa de análise fundada por Felipe Miranda e que conta com 445 mil assinantes.

Leia também

Brand Stories