Negócios

Ford pisa no acelerador e avança na corrida pelo veículo autônomo

A fabricante americana anunciou que seus primeiros carros autônomos estarão disponíveis no aplicativo da Lyft, concorrente da Uber, no fim deste ano, inicialmente em Miami. Serão 1 mil veículos pelos próximos cinco anos nos EUA.

 

O carro autônomo da Ford em parceria com a Argo e a Lyft

A estreia da Ford no mercado de veículos autônomos está se aproximando. A fabricante, que tem feito testes em parceria com a Argo, empresa que fornece tecnologia para os carros sem motoristas, vai disponibilizar no fim deste ano os primeiros automóveis no aplicativo de transporte Lyft, que concorre com a Uber nos Estados Unidos.

Inicialmente, os veículos estarão disponíveis para os usuários do aplicativo em Miami, na Flórida. A ideia, porém, é expandir para Austin, no Texas, em 2022, e na sequência desembarcar em outras cidades, em um plano que envolve levar para as ruas 1 mil carros autônomos em um período de cinco anos, segundo anúncio feito pelas companhias nesta quarta-feira, dia 21 de julho.

Os carros, quando estiverem circulando, serão operados pela tecnologia da Argo, mas, pelo menos por enquanto, terão um motorista humano de segurança ao volante.

Como parte do negócio, a Lyft terá direito a 2,5% das ações da Argo, startup que recebeu investimentos da Ford e da Volkswagen e que se prepara para abrir capital este ano.

“Cada empresa traz a escala, o conhecimento e a capacidade em sua área de especialização, que são necessários para tornar a busca da carona autônoma uma realidade de negócios”, afirmou o CEO da Lyft, Logan Green, em comunicado. “Esse novo acordo é um passo crucial em direção às operações comerciais completas”, disse ainda Scott Griffith, CEO da Ford Autonomous Vehicles & Mobility Businesses.

O anúncio ocorre em um momento do mercado em que os aplicativos de transportes têm preferido realizar parcerias a ter seus próprios carros autônomos, em meio a preocupações com segurança e altos custos.

Há três meses, a Lyft  anunciou a venda para a Toyota de sua unidade dedicada ao desenvolvimento de veículos autônomos. Pelo valor de US$ 550 milhões, a transação serviu para que a companhia tirasse das costas um negócio que se mostrou custoso, aliviasse a situação financeira e lhe permitisse focar na plataforma e em parcerias.

Movimento similar foi feito pela Uber em dezembro do ano passado, com a venda da sua operação no segmento para a Aurora, startup que tem a Hyundai e a Amazon por trás.

A empreitada das três empresas é mais um movimento do mercado para acelerar a chegada dos carros autônomos. A CEO  global da GM, Mary Barra, afirmou durante apresentação dos resultados do primeiro trimestre que espera lançar veículos autônomos ainda nesta década.

A Volkswagen, que investiu US$ 2,6 bilhões na Argo em 2019, quer lançar um micro-ônibus em parceria com a startup em 2025. A própria Ford quer ir além. A montadora afirmou em fevereiro que planeja investir US$ 29 bilhões em veículos autônomos e elétricos também até 2025.

A parceria entre Ford e Lyft, porém, não será a primeira experiência de carros autônomos em aplicativos de carona. A Waymo, do Google, que desenvolve os automóveis e tem também o próprio aplicativo, o Waymo One, estreou o serviço no mercado em outubro de 2020, sem a necessidade de assinatura de termos de confidencialidade.

A companhia, que também tem feito parcerias com montadoras, assinou no mesmo mês um acordo com Daimler, dona da Mercedes-Benz, para produzir caminhões autônomos que devem chegar ao mercado nos próximos anos, mas sem um cronograma detalhado.

Leia também

UM CONTEÚDO:

BRAND STORIES

VÍDEOS

Assista aos programas CAFÉ COM INVESTIDOR e CONEXÃO CEO