Hackers derrubam sites da Americanas.com e do Submarino

Sites ficaram fora do ar na manhã deste sábado. O ataque pode ter sido feito pelo Lapsus$ Group, o mesmo que tirou do ar o aplicativo ConectSUS. Americanas diz que não há evidências de que base de dados foi comprometida

0
490
Leia em 2 min

Mensagem para quem tenta acessar o site da Americanas.com

Os sites da Americanas.com e Submarino foram derrubados por um ataque hacker. Desde a manhã desde sábado, 19 de fevereiro, usuários têm relatado que não estão acessando os dois sites de comércio eletrônico.

As páginas principais dos sites estavam no ar, mas não mostravm nenhum produto. Havia apenas uma mensagem que dizia: “Não encontramos o que você procurou”. O site do Submarino não tem nenhuma mensagem. Apenas não mostra nenhum produto.

Mensagem que está circulando na internet indica que o ataque foi feito pelo Lapsus$ Group, o mesmo que tirou do ar o aplicativo ConectSUS, aplicativo do Ministério da Saúde, em dezembro do ano passado.

Em seu grupo no Telegram, o grupo mencionou o incidente nos sites da Americanas.com e Submarino com ironia, mas não assumiu a autoria.

Em nota, a Americanas informou que “suspendeu preventivamente parte dos servidores do ambiente de e-commerce na madrugada deste sábado (19/02), assim que identificou risco de acesso não autorizado.”

De acordo com o comunicado, as equipes atuam para normalizar os ambientes de e-commerce, de acordo com seus protocolos de segurança. “Não há evidência de comprometimento das bases de dados. As lojas físicas não tiveram suas atividades interrompidas e continuam abertas e operando normalmente.”

A Americanas informou que, por volta das 15h06 do sábado, normalizou os acessos aos dois sites. Mas no domingo, 20 de fevereiro, os servidores voltaram a cair. Nesta manhã de segunda-feira, os dois sites seguem fora do ar.

Os ataques hackers têm se tornado cada mais frequente. Em agosto do ano passado, a Lojas Renner ficou fora do ar por conta de um ataque que afetou o seu site de comércio eletrônico. Na ocasião, o banco de dados foi preservado.

Outra empresa vítima de ataque hacker recentemente foi grupo Fleury, de medicina diagnóstica, que ficou com parte de seus sistemas e serviços fora de operação em junho do ano passado, em problema que se estendeu por mais de uma semana.

Além do Fleury, foram vítimas de hackers, em abril do ano passado, a Westwing, plataforma online de casa, decoração e lifestyle, que abriu capital na B3 em fevereiro de 2021.

A Companhia Paranaense de Energia (Copel) e a Eletronuclear, empresa da Eletrobras que opera as usinas de Angra 1 e Angra 2, sofreram ataques hackers em fevereiro.

Em 2020, os hackers atacaram as companhias Cosan, Hapvida e Avon, empresa americana parte do grupo brasileiro Natura&Co.

(Notícia atualizada na segunda-feira, 21 de fevereiro, as 7h30.)

Leia também

Brand Stories