Porto Seguro e Cosan apostam em carro por assinatura com nova empresa

A nova empresa, batizada de Mobitech, será composta pelo Carro Fácil, serviço de assinatura de veículos da Porto Seguro, e contará com um investimento de R$ 300 milhões da Cosan, do empresário Rubens Ometto

0
457
Leia em 3 min

Em um momento em que Localiza e Unidas ainda lutam para aprovar a fusão das duas empresas, o que criaria uma gigante no setor de locação de veículos, a Porto Seguro e a Cosan estão unindo forças em uma joint venture para atuar em soluções de mobilidade.

A joint venture, batizada de Mobitech, vai oferecer serviços de assinatura de veículos, gestão de frotas para empresas, entre outras mobilidades de locação de veículos, segundo fato relevante divulgado nesta segunda-feira, 8 de novembro, pela Porto Seguro. O capital da Mobitech será detido em participações iguais de 50% por Porto Seguro e Cosan.

A seguradora entrará no negócio com Carro Fácil, que faturou R$ 40 milhões no segundo trimestre e tinha 8,1 mil contratos ativos de aluguel de veículo. A Cosan, do empresário Rubens Ometto, está investindo R$ 300 milhões, através de um veículo de investimento criado recentemente, após uma reorganização societária.

“O Carro Fácil foi a primeira plataforma de carros por assinatura no Brasil, mas eles demoraram para crescer”, diz um gestor, que acompanha o papel da Porto Seguros. “Essa é uma área que demanda muito capital e trazer um sócio capitalista para dentro deve acelerar esse crescimento.”

Há um fator a mais nesse negócio. Em parecer da Superintendência do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), a união Localiza e Unidas não foi vetada. Mas o órgão sinalizou que um dos remédios poderia ser a venda de 20 mil carros de locação a um competidor. “Por que essa nova empresa não poderia se candidatar a isso?”, diz esse gestor.

Essa é uma área que tem recebido investimentos não apenas de empresas de locação de veículos, mas também das próprias montadoras, que estão tentando entender a cabeça do novo consumidor, que não quer ser mais dono de um carro. Volkswagen, GM, Ford e Toyota, por exemplo, já testam modelos de assinatura em vez da venda de seus carros.

A joint venture com a Cosan é mais um passo da estratégia de diversificação desenhada pelo chairman Bruno Garfinkel na Porto Seguro. Um exemplo dessa movimentação foi o negócio com a Petlove, em que a seguradora ficou com uma fatia de 13,5% do e-commerce de produtos pets e transferiu sua área de seguros pet à companhia.

Do lado da Cosan, o braço de investimentos da holding de Ometto já fez uma joint venture com a Aura Minerals, para explorar o mercado de minério de ferro. “Eles estão de olho em investimentos que podem trazer retornos de 20% a 25%”, diz outro gestor. “Esse novo investimento têm de ser olhado sob essa ótica.”

Segundo o fato relevante, a Mobitech contará com uma estrutura de gestão independente e governança corporativas próprias. A Cosan vale R$ 38,6 bilhões. A Porto Seguro, R$ 15,5 bilhões.

Leia também

Brand Stories