Negócios

De olho na retomada, Gafisa propõe fusão com a Tecnisa

Segundo fato relevante divulgado hoje pela empresa, a integração das operações criaria uma operação com um portfólio de lançamentos de R$ 2 bilhões até 2021 e um estoque de terrenos no valor de R$ 10,3 bilhões

 

A construção e incorporação é um dos segmentos que estão engrossando o reaquecimento das ofertas públicas iniciais de ações na B3. Além da fila de possíveis estreantes na bolsa brasileira, as empresas do setor já listadas também começam a se movimentar, de olho na retomada do mercado imobiliário.

Hoje pela manhã, a Gafisa anunciou que enviou ao Conselho de Administração da Tecnisa uma proposta de fusão entre as duas operações. Em fato relevante, a companhia afirmou que a potencial integração dos negócios teria “características transformacionais” para as duas empresas.

“A definição dos procedimentos aplicáveis ficará a cargo das negociações entre as administrações de ambas as sociedades, cujos estudos já foram iniciados na Gafisa, conforme aprovação de seu Conselho de Administração”, afirmou a Gafisa, em fato relevante.

Também por meio de fato relevante, a Tecnisa comunicou que recebeu, “de forma inesperada”, uma proposta não solicitada, enviada por meio Bergamo, fundo de propriedade da Gafisa e que detém uma fatia de 3,1% na Tecnisa.

A Tecnisa informou ainda que o fundo Bergamo requereu a convocação de uma assembleia geral extraordinária para deliberar sobre a proposta de fusão e sobre temas como um aumento do capital autorizado para R$ 200 milhões e um aumento de capital de R$ 500 milhões.

Segundo a empresa, todas essas pautas serão discutidas em uma reunião, em caráter extraordinário, de seu Conselho de Administração. A companhia esclareceu que, até o momento, não há qualquer tratativa entre as duas partes e acrescentou que manterá o mercado informado sobre eventuais desdobramentos.

No documento divulgado nessa manhã, a Gafisa traz alguns dados sobre as possíveis sinergias e ganhos a partir de uma integração das operações. Segundo a companhia, um acordo criaria uma companhia com R$ 2 bilhões em lançamentos previstos até 2021, sendo R$ 1,5 bilhão de seu portfólio e R$ 500 milhões da Tecnisa.

Ao mesmo tempo, a fusão traria uma capacidade anual de lançamentos recorrente entre R$ 2 bilhões e R$ 3 bilhões, além de um landbank de R$ 10,3 bilhões. Já levando-se em conta o estoque das duas companhias, o valor de mercado do portfólio seria de R$ 1,12 bilhão e a posição de caixa de R$ 1,05 bilhão.

Com o anúncio, as ações da Gafisa operavam em queda de 3,62% por volta das 11h. No mesmo horário, os papéis da Tecnisa registravam ligeira alta de 0,54%. As duas empresas estão avaliadas, respectivamente, em R$ 636 milhões e R$ 826 milhões.

Os números vão ao encontro das perspectivas de reaquecimento do mercado imobiliário, diante de fatores como a expectativa de manutenção da taxa básica de juros em patamares baixos e o aumento da atratividade dos imóveis como alternativa de investimento.

Segundo a pesquisa Raio-X FipeZAP, divulgada hoje pela manhã, o índice de participantes que declarou a intenção de adquirir um imóvel nos próximos meses passou de 36%, entre janeiro e março, para 43%, no segundo trimestre. Esse é o maior patamar reportado no estudo desde 2014.

Siga o NeoFeed nas redes sociais. Estamos no Facebook, no LinkedIn, no Twitter e no Instagram. Assista aos nossos vídeos no canal do YouTube e assine a nossa newsletter para receber notícias diariamente.

Leia também

UM CONTEÚDO:

BRAND STORIES

NEOFEED REPORT

Conheça os conteúdos do braço de análise e inteligência de mercado do NeoFeed

VÍDEOS

Assista aos programas CAFÉ COM INVESTIDOR e CONEXÃO CEO