Love brands: comunidades movem cultura e elevam relação com as marcas

Não basta ter consumidores. Hoje em dia é preciso ter fãs. E criar comunidades em torno de sua marca é um caminho para aumentar o engajamento, como fizeram Zee.Dog e Nubank

0
219
Leia em 5 min

As necessidades e exigências do público têm mudado muito ao longo dos anos. Atualmente, uma compra não se resume apenas na aquisição de algo, vai muito além disso. Ao investir em um produto ou serviço de determinada marca, o consumidor logo se associa a tudo o que a empresa pode proporcionar a ele além, como os seus propósitos e valores. E quando juntamos um número de consumidores que se identificam com esses princípios, temos a formação de uma comunidade de marca.

Uma comunidade nada mais é do que diversas pessoas que pertencem a um mesmo grupo e compartilham de culturas e desejos em comum. Conforme se multiplicam e ganham força, podem disseminar essa união em prol de algo ou, nesse caso que estamos abordando, em prol de uma marca com a qual se identifiquem genuinamente. E aqui cabe uma reflexão: existe comunicação mais potente do que a troca de experiências entre as pessoas?

Te digo mais: isso precisa ser uma estratégia da sua marca, principalmente se quer estar atento e acompanhar as mudanças que essas comunidades promovem ao mover a cultura de forma cada vez mais veloz. Quer saber como? Simples, são as pessoas e principalmente a junção delas que moldam a imagem da sua empresa, criam a cultura dela, influenciam outros a fazer parte disso, entre diversos pontos fortíssimos, que podem se destacar ainda mais quando estão atreladas a celebridades, influencers ou até atletas por exemplo, reforçando o senso de reconhecimento e pertencimento.

Sem dúvida, a comunidade é um dos pontos que mais devemos ter atenção na hora de planejar e pensar nosso modelo de negócio, pois a relação com os consumidores é o maior canal que existe para ter uma troca humanizada e compreensiva, assim enfatizando ainda mais essa relação marca/consumidor.

E muitas companhias já vem notando esse movimento. Um reflexo dessa informação é o que nos mostra a pesquisa realizada pela Associação de Marketing Promocional (Ampro), identificando que em torno dos últimos três anos as empresas investiram cerca de R$ 45 bilhões em ações para ficar cada vez mais próximas dos seus clientes.

E temos alguns exemplos de grandes nomes que criaram ações incríveis e resumem bem o que quero dizer. Como a relação da Zee.Dog com a sua comunidade, pois eles estão sempre realizando trabalhos alinhados com as expectativas e necessidades do grupo. Hoje, além de produtos para cachorros, eles ampliaram a sua linha para gatos, humanos, itens de casa, alimentação dos pets e serviço de entrega, sempre com base no que o seu público necessita.

Podemos citar também cases como o do Nubank, com a criação da NuCommuity, que reúne cerca de 40 mil usuários do banco, onde recebem diversas informações com exclusividade e podem ter até certificados, por exemplo o “NuLover”, intensificando ainda mais a sua conexão com a empresa. Quando o consumidor enxerga e se identifica com marcas como essas citadas, que estão alinhadas aos seus valores, é natural que ele queira fazer parte disso, espalhando essa satisfação.

Para entendermos melhor, vamos pensar do outro lado da moeda. Como cliente, existe satisfação maior do que ter seus desejos reconhecidos? Hoje essa relação é a chave primordial para entender o que você precisa entregar para seu público e quais são as suas necessidades, afinal são eles quem irão consumir e adquirir tudo o que sua empresa oferece.

Quanto maior o nível de satisfação, mais aquela pessoa se torna uma das principais responsáveis de anunciar a sua marca para o mundo. Afinal, quando procuramos saber mais sobre algum produto ou serviço, uma das nossas primeiras atitudes é buscar informação com alguém que já tenha tido aquela experiência, certo? Seja comprando algo, conhecendo algum estabelecimento, adquirindo algum serviço entre outras experiências. É o poder da indicação.

Fortalecendo o grupo que forma a sua comunidade, mais porta-vozes vestindo a camisa você terá. Mas vale ressaltar a importância de entender também onde se está errando e onde pode melhorar. Isso sempre de forma rápida, pois sabemos que hoje as informações correm na velocidade da luz e um erro sem atenção pode se tornar uma grande dor de cabeça. As pessoas querem soluções que sejam eficientes, não perder tempo com algo que não traga benefícios. Por isso, gosto de reforçar: “Erre na velocidade de uma Ferrari, mas com o preço de um Fusca”.

Gosto de reforçar: “Erre na velocidade de uma Ferrari, mas com o preço de um Fusca”

Cuidar da imagem da sua marca, estar sempre atento a como tem entregado os seus serviços, e praticar ações como as que citei aqui, faz toda diferença. Prova disso é o que mostra a pesquisa “Global Consumer Pulse”, da Accenture Strategy, onde 83% dos consumidores brasileiros preferem comprar de empresas que defendem propósitos alinhados aos seus valores de vida. Por isso, é extremamente importante entender como você fala da sua companhia e como ela tem sido vista e reconhecida pelas pessoas.

Quando nos sentimos ouvidos, e temos os nossos desejos sendo valorizados por instituições que fazem parte da nossa cultura, é natural que nos tornemos próximos e apaixonados por aquilo e assim nos aproximando de pessoas que sentem o mesmo. Por isso, aqueles que entenderem o poder de ouvir os responsáveis pelo crescimento da sua empresa, são os que estarão milhões de passos à frente no mundo dos negócios.

Entender o seu público pode trazer diversos benefícios não só para eles como para você, afinal, são essas pessoas que mostram se o seu trabalho tem ou não sido o ideal. Esteja sempre atento a isso e ao que sua comunidade diz. É, e sempre será sobre ela.

*Rapha Avellar é fundador da Adventures

Leia também

Brand Stories