O lance de US$ 2 bilhões do cofundador da Nike para comprar um time da NBA

Em parceria com um dos sócios do time de baseball Los Angeles Dodgers, Phil Knight faz oferta para comprar o Portland Trail Blazers, franquia que pertence à família de um dos fundadores da Microsoft

0
0
Leia em 3 min

Phil Knight, cofundador da Nike e que tem patrimônio de US$ 46,7 bilhões

Depois de fazer da Nike uma marca de referência entre jogadores e times da NBA, o empresário Phil Knight quer agora conquistar títulos na principal liga de basquete do mundo. E, para isso, está trabalhando para comprar o time de seu estado natal. 

Knight, em parceria com o empresário Alan Smolinisky, um dos donos do time de baseball Los Angeles Dodgers, fez uma oferta de mais de US$ 2 bilhões para adquirir o Portland Trail Blazers, segundo pessoas familiarizadas com a oferta ouvidas pelo jornal The New York Times

O Trail Blazer pertence a um fundo controlado pela família de Paul Allen, um dos fundadores da Microsoft, que morreu em 2018. Segundo o jornal, Knight e Smolinisky vêm conversando nas últimas semanas a respeito da proposta com Jody Allen, irmã de Paul Allen e presidente do fundo. 

Em nota, uma porta-voz do time confirmou a oferta, sem entrar em detalhes, e declarou que o Portland Trail Blazers não está à venda. 

Nascido e criado no Oregon, Knight, 84 anos, fundou a Nike em 1964 com seu técnico de atletismo, Bill Bowerman, na Universidade do Oregon. Com a companhia e outros investimentos, ele se tornou a pessoa mais rica do estado e a 27ª do mundo, segundo o ranking da revista Forbes, com um patrimônio de cerca de US$ 46,7 bilhões. 

Knight deixou de ser o presidente da Nike em junho de 2016, mas permanece no conselho de administração. Mesmo tendo se tornado uma multinacional avaliada em US$ 198 bilhões, a relação entre Nike e Oregon permanece até hoje, com a sede da companhia localizada na pequena cidade de Beaverton, que possui 98,2 mil habitantes. 

Esse vínculo, inclusive, é visto como um fator que deve manter o time na cidade, caso Knight concretize a operação. Há anos, o futuro da franquia em Portland é colocado em xeque. Na quinta-feira, dia 2 de junho, em uma entrevista antes do primeiro jogo das finais da NBA entre o Golden State Warriors e o Boston Celtics, o comissário da NBA, Adam Silver, disse que “em algum momento, o time será vendido”, sem dar muitos detalhes. 

Apesar de seu histórico no mundo dos esportes, Knight nunca se arriscou em fazer um lance por um time de qualquer modalidade. Em 2011, ele afirmou, inclusive, que não estava interessado em ser dono do Portland Trail Blazers, campeão da NBA uma única vez, em 1977. 

Paul Allen, por sua vez, comprou o Portland Trail Blazers em 1988, por US$ 70 milhões. Desde então, o valor dos times cresceu fortemente, diante da popularização da NBA, que resultou em contratos polpudos de televisão e marketing. 

A última vez que um time da NBA trocou de donos foi em 2021, quando o Minnesota Timberwolves foi comprado pelo empresário Marc Lore e o ex-jogador de basquete Alex Rodriguez, por US$ 1,5 bilhão. 

Fora da NBA, o mercado de esportes anda bastante aquecido. O Chelsea, que pertencia ao empresário russo Roman Abramovich, foi vendido por US$ 3,1 bilhões para um consórcio liderado pelo parceiro de Smolinisky no Dodgers, Todd Boehly. No futebol americano, o time dos Denver Broncos foi colocado à venda após a morte de seu dono, Par Bowlen, em 2019. 

No Brasil, graças a mudanças na legislação, que permitiu transformar clubes de futebol em empresas, o ex-jogador Ronaldo comprou 90% do Cruzeiro no ano passado, por R$ 400 milhões. 

O empresário americano John Textor comprou 90% do Botafogo também no ano passado, por R$ 410 milhões, e o Vasco negocia um acordo do tipo com o fundo americano 777 Partners. 

Leia também

Brand Stories