Frederico Trajano, do Magazine Luiza: mais um empresário a entrar no setor de mídia

Com a compra de uma participação de 25% no site de notícias de política Poder360, Frederico Trajano aumenta a lista de empresários que investem em mídia

0
156
Leia em 3 min

O empresário Frederico Trajano

Nos últimos anos, o empresário Frederico Trajano esteve nas manchetes de jornais e sites pelas numerosas aquisições do Magazine Luiza, a rede varejista da qual é o CEO e que comprou 17 empresas desde janeiro de 2020 – a mais recente deles, da plataforma de conteúdo Jovem Nerd.

Agora, Trajano volta às manchetes por outro motivo. Ele está fazendo uma incursão no mundo da mídia, ao anunciar um investimento pessoal no site de política Poder360, do jornalista Fernando Rodrigues, que cobre os bastidores do poder. Trajano está comprando uma fatia de 25% do Poder360, por um valor não revelado.

“Acredito no jornalismo profissional como um dos pilares da democracia e do aperfeiçoamento das instituições e tenho total afinidade com os princípios editoriais do veículo: isenção, apartidarismo, independência, qualidade e credibilidade das informações publicadas e foco no interesse público”, disse Trajano, por meio de uma nota divulgada à imprensa sobre o seu investimento.

O aporte acontece em um momento em que o nome de Luiza Helena Trajano, sua mãe e presidente do conselho de administração do Magazine Luiza, aparece como uma possível candidata a eleição presidencial de 2022 – ela sempre negou que tenha interesse em entrar na política.

A negociação com o Poder360 envolveu um aporte primário de recursos, que serão investidos na expansão do site. Em março de 2021, o Poder360 bateu recorde de audiência, com 9,3 milhões de visitantes únicos e 32,3 milhões de páginas visualizadas, segundo a nota.

A entrada de Trajano no mundo da mídia pode parecer inusitada à primeira vista. Mas, na verdade, trata-se de uma tendência que cresce no Brasil e no mundo nos últimos anos.

Empresários com empresas consolidadas em diversos setores da economia estão cada vez mais investindo em veículos de mídia. No fim de março deste ano, por exemplo, Rubens Menin, dono da construtora MRV, do Banco Inter e da Log Commercial Properties, comprou a fatia de 35% do jornalista Douglas Tavolaro e passou a deter 100% da CNN Brasil.

No ano passado, o empresário Chaim Zaher, que comando o grupo de educação SEB, dono de marcas como Pueri Domus, Concept e Maple Bear, comprou três três emissoras de TV e sete emissoras de rádio da NovaBrasilFM.

O banqueiro André Esteves, do banco BTG Pactual, arrematou a revista Exame, do grupo Abril, em um leilão judicial por R$ 72,3 milhões, em dezembro de 2019. Antes disso, o próprio BTG Pactual ajudou a Fábio Carvalho a comprar o grupo Abril, que estava em recuperação judicial.

No mundo da economia e finanças, o controlador da XP Inc., Guilherme Benchimol, é dono também do site Infomoney. E a Empiricus, de Felipe Miranda, tem participação nos sites Money Times e Seu Dinheiro.

Mundialmente, o maior exemplo de um empresário investindo no setor de mídia é o de Jeff Bezos, da Amazon, que comprou o tradicional The Washington Post, por US$ 250 milhões, em agosto de 2013.

A mulher de Steve Jobs (1955-2011), Laurenne Powell, comprou a revista The Atlantic em 2017. Antes, ela já tinha uma fatia no site Axios. E Marc Benioff, fundador da Salesforce, adquiriu a revista Time, a mais tradicional dos Estados Unidos, por US$ 190 milhões em 2018.

Leia também