Negócios

Com Amazon e Ford na “bagagem”, Rivian, de carros elétricos, traça caminho para o IPO

A fabricante americana de carros elétricos planeja abrir capital em setembro e buscar uma avaliação de US$ 50 bilhões. Para isso, no entanto, terá que superar obstáculos. Entre eles, o fato de ainda não ter entregue nenhuma unidade

 

O SUV elétrico R1S, da Rivian

A Tesla costuma dominar as conversas sobre veículos elétricos – e não é à toa. Seu fundador, Elon Musk, é um dos maiores “influenciadores” do mercado financeiro. E, avaliada em US$ 779 bilhões, a empresa é a montadora mais valiosa do mundo.

A Tesla não está, porém, sozinha nesse mercado. Uma das empresas dispostas a ganhar fôlego nessa corrida é a também americana Rivian, que quer abrir seu capital na bolsa americana ainda neste ano e, nessa jornada, alcançar um valor de mercado de US$ 50 bilhões.

De acordo com a agência Bloomberg, o plano é buscar o IPO em setembro deste ano, mas existe a possibilidade de o processo ser postergado para o fim de 2021 ou o início de 2022.

Uma avaliação de US$ 50 bilhões colocaria a Rivian entre as grandes montadoras. A Ford é avaliada em US$ 40,2 bilhões e a General Motors, em US$ 77,6 bilhões. Os valores, no entanto, ainda estão muito distantes da Tesla que, segundo analistas, pode ultrapassar a barreira de US$ 1 trilhão.

Em janeiro, a Rivian recebeu um aporte de US$ 2,65 bilhões em uma rodada liderada pela T. Rowe Price. Fundada em 2009, a empresa já captou US$ 8 bilhões junto a investidores de peso, como Amazon, Ford e a gestora BlackRock.

Tanto a Amazon quanto a Ford não são apenas investidoras. A Rivian fechou um contrato com a gigante do varejo virtual para produzir 100 mil vans elétricas, que serão usadas em entregas, até 2030. A primeira leva, de 10 mil unidades, deve circular pelos Estados Unidos já em 2022.

A Rivian também será responsável pela plataforma de veículos elétricos da Ford. Inicialmente, a empresa produziria um modelo de luxo para a marca Lincoln, mas o projeto foi arquivado. Agora, as duas companhias discutem a criação de um outro modelo alternativo.

O roteiro da empresa tem, no entanto, alguns obstáculos a serem superados. A companhia, que surgiu com a proposta de oferecer utilitários esportivos e picapes elétricas, ainda não entregou nenhuma unidade.

De acordo com o seu planejamento para 2021, dez lojas serão inauguradas ao longo do ano, começando por Chicago, e as primeiras unidades devem ser entregues aos clientes a partir de junho.

Os interessados podem encomendar os veículos na pré-venda, direto no site da companhia. O valor da picape R1T começa em US$ 67.500. A versão mais simples conta com autonomia de 480 quilômetros por carga da bateria. Quem comprar agora receberá o veículo apenas em janeiro de 2022.

Outros players estão de olho no segmento dos carros elétricos. Companhias como Nikola, Fisker e Lordstown estão se unindo a Special Purpose Acquisition Companies (SPACs), as chamadas “empresas de cheque em branco”, para se capitalizarem e buscarem seu espaço.

Grandes empresas do setor de tecnologia, como a Apple, também planejam colocar no mercado seus próprios veículos elétricos. O modelo da Apple, no entanto, só deve chegar às ruas em 2024.

Leia também

Newsletter

Receba notícias do NeoFeed no seu e-mail

 
Li, compreendi e concordo com os Termos de Uso e Política de Privacidade
do site.

UM CONTEÚDO:

BRAND STORIES

VÍDEOS

Assista aos programas CAFÉ COM INVESTIDOR e CONEXÃO CEO

Newsletter

Receba notícias do NeoFeed no seu e-mail

 
Li, compreendi e concordo com os Termos de Uso e Política de Privacidade
do site.